Parapsicologia RJ - Guilherme Eduardo Kilian

UMA REALIDADE NA VISÃO DOS TOLTECAS

Guilherme Eduardo Kilian

(IPRJ / ABRAP / guikilianppsi.blogspot.com)

Setembro de 2011

 

 

Parapsicologia e Ciências Mentais


O nagual da linhagem dos Cavaleiros da Águia, Don Miguel Ruiz, nos compartilha poderosos ensinamentos toltecas. Conceituam “Mitote” os programas que você tem em sua mente, conceitos, tudo em que você acredita sobre si mesmo, sobre o mundo. Na Índia é conhecido como maya, que significa “ilusão”.

“Mas ninguém pode nos fazer mal com tanta eficiência quanto nós mesmos, e o Juiz, a Vitima e o sonho social são responsáveis por isso”.  Somos ao mesmo tempo Juizes de nos mesmos, nos fazemos de vitima, e estamos inseridos em um “sonho social” que é de certa forma tudo o que fazemos, nosso comportamento é aprendido de acordo com os hábitos vigentes das sociedades em que estamos inseridos.  Firmamos compromissos com nós mesmos, com os outros e com o meio em que vivemos, muitos desses compromissos podem nos fazer sofrer, mas precisamos reclamar nosso poder pessoal, com coragem romper esses compromissos baseados no medo, para termos uma vida de alegria e realização.  Se não gostamos do sonho de nossa vida, precisamos alterar os compromissos que nos regulam, quando estivermos prontos para muda-los, quatro compromissos poderosos nos ajudarão a quebrar aqueles que vêm do medo e drenam nossa energia.

Seja impecável com sua palavra, é o primeiro compromisso, ser impecável com sua palavra é empregar corretamente a sua energia, é usá-la na direção da verdade e do amor por você.  Imaginem quantas vezes atiramos “encantamentos” uns nos outros com nossa palavra, com o tempo essa interação se torna a pior forma de “magia negra”, que chamamos de mexerico ou fofoca.  Como se fosse um vírus de computador, cada vez que os outros fofocam com você, inserem um vírus de computador em sua mente fazendo com que pense menos claramente.  Depois de um esforço para limpar a própria confusão e conseguir alivio do veneno você fofoca e espalha esse vírus pra mais alguém. Imagine esse padrão caminhando numa corrente infinita entre todos os seres humanos da Terra.  O resultado é um mundo cheio de pessoas que podem apenas receber informações através dos circuitos entupidos com um vírus contagioso e venenoso.  É esse “vírus” que os toltecas chamam de mitote, o caos de milhares de vozes diferentes, todas tentando falar ao mesmo tempo na mente.  Se adotarmos o primeiro acordo e nos tornarmos impecáveis em relação a nossa palavra, qualquer veneno emocional será limpo de nossa mente e de toda a comunicação em nossos relacionamentos pessoais, incluindo nosso animal de estimação, cão ou gato.  A impecabilidade da palavra pode levar à liberdade pessoal, ao sucesso e à abundancia, pode facilmente dissolver todo o medo e transforma-lo em alegria e amor.  Podemos viver no céu no meio de milhares de pessoas que vivem no inferno, porque você se torna imune a esse inferno.  Pode atingir o reino do céu apenas com este compromisso: seja impecável com sua palavra.

Não leve nada para o lado pessoal, é o segundo compromisso, se não levamos nada para o lado pessoal, não nos ofendemos, sendo que nos tornamos imunes ao veneno no meio do inferno, esta é a dádiva deste compromisso. Temos a opção de acreditar ou deixar de acreditar nas vozes que escutamos no interior de nossas mentes, assim como temos uma opção ao decidir no que acreditar e concordar no sonho do planeta.  Quando realmente enxergamos as pessoas como elas são sem levar para o lado pessoal, nunca poderemos ser feridos pelo que elas digam ou façam.  Mesmo que os outros mintam pra você, não há problema, estão mentindo porque têm medo, de que você descubra que eles não são perfeitos, é doloroso retirar a mascara social.  Habitue-se a agir assim e descobrirá que nada pode conduzi-lo de volta ao inferno.  Todo mundo pode mexericar a seu respeito ou lhe enviar veneno intencionalmente, mas se você não levar para o lado pessoal, estará imune.  A pratica dos primeiros dois compromissos irá quebrar 75 por cento das pequenas obrigações que o mantinham ligado ao inferno.

Não tire conclusões, é o terceiro compromisso.  Presumimos que todos enxergam a vida da mesma forma que nós, que os outros pensam da mesma forma que nós, sentem da mesma forma que nós, julgam como nós julgamos e sofrem como nós sofremos.  Por isso temos medo de ser nós mesmos na presença dos outros.  Devemos ser quem somos para não precisarmos apresentar uma falsa imagem. Imagine quando parar de tirar conclusões sobre seu parceiro e sobre todas as outras pessoas em sua vida, sua forma de se comunicar irá mudar completamente e seus relacionamentos não mais sofreram com compromissos criados por falsas presunções.  A forma de evitar tirar conclusões é fazer perguntas, tenha coragem de perguntar ate que as coisas fiquem o mais claro o possível, e nunca imagine que sabe tudo o que há para saber numa determinada situação.  Uma vez ouvida a resposta, não vai precisar tirar conclusões porque saberá a verdade.  Sem tirar conclusões sua palavra se torna impecável.  Depois de muitas repetições esses novos compromissos se tornarão uma segunda natureza, e se você perceber a mágica de sua palavra transforma-lo de um praticante de “magia negra” em praticante de “magia branca”, aquele que usa a palavra para criar, dar, partilhar, e amar.  Tornando esse compromisso um hábito, toda a sua vida será completamente transformada.  Quando você transforma todo o seu sonho, a mágica acontece em sua vida.  Aquilo de que precisa lhe vem facilmente porque o espírito se move com liberdade através de você.  É o domínio da intenção, do espírito, do amor, da gratidão e da vida.  Esse é o objetivo dos toltecas, é o caminho para a liberdade pessoal.

Dê sempre o melhor de si, é o quarto compromisso, permite que os outros três se tornem hábitos enraizados, e se refere a ação dos outros três.  Não importa se você está doente ou cansado, se der sempre o melhor de si não haverá forma de julgar a si mesmo.  Fazer o melhor é assumir a ação, porque você ama isso, não porque espera uma recompensa.  Se você agir apenas pelo prazer de agir vai descobrir que gosta de todas as suas ações.  As recompensas virão mas você não esta ligado a elas.  Se gostamos do que fazemos e sempre fazemos o nosso melhor, então estamos realmente apreciando a vida.  Estamos nos divertindo sem sentir tédio e sem acumular frustrações.  Quando você faz o melhor que pode aprende a aceitar a si mesmo, mas é preciso estar atento e aprender com os erros. Isso significa praticar, observar com honestidade os resultados e continuar praticando. Isso aumenta a sua consciência.  Você precisa levantar-se e ser humano, honrar o homem ou a mulher que é.  Respeite, aproveite e ame seu corpo, alimente-o, limpe-o e cure-o, exercite-o e faça o que ele se sente bem em fazer. Quando você honra esses quatro compromissos, não existe maneira de viver no inferno, é impossível, irá controlar 100 por cento de sua vida, a sabedoria está lá, só esperando que você a use.

O caminho tolteca para a liberdade que procuramos é a liberdade de ser nós mesmos, de nos expressar.  O problema com as pessoas é que vivem suas vidas e nem chegam a descobrir que o Juiz e a Vitima governam suas mentes, e portanto não tem uma chance de ser livres.  A consciência é o primeiro passo porque se você não esta consciente, não existe nada para mudar.  Se você não percebeu que sua mente esta cheia de feridas e veneno emocional, não pode começar a limpar e curar os ferimentos, e continuará sofrendo.  Sua vida é a manifestação de seu sonho, é uma arte.  Ser tolteca é uma forma de viver em que não existem líderes nem seguidores, em que você possui sua própria verdade e vive de acordo com ela.  Um tolteca se torna sábio, selvagem e livre outra vez.  Eles comparam o Juiz, a Vitima e o Sistema de Crenças a um parasita que invade a mente humana, do ponto de vista tolteca, todos os seres humanos domesticados são doentes, porque existe um parasita que controla a mente e o cérebro.  Para o parasita a comida são as emoções negativas produzidas pelo medo.  Podemos declarar uma guerra contra esses parasitas, contra o Juiz, e a Vitima, uma guerra pela nossa independência, pelo direito de usar nossa própria mente e nosso cérebro.  Por isso nas tradições xamanistas em toda a América, desde o Canadá até a Argentina, as pessoas chamam a si mesmas de guerreiros, pois estão em guerra contra os parasitas em suas mentes.  Esse é o real significado de um guerreiro.  São as emoções que controlam o comportamento dos seres humanos, não os seres humanos que controlam as emoções.  O guerreiro possui controle, não o controle sobre outro ser humano, mas sim sobre as próprias emoções, sobre o próprio eu.  Controlar é conter as emoções, a fim de expressa-las no momento adequado, nem antes nem depois, por isso os guerreiros são impecáveis, possuem controle completo sobre as próprias emoções, e portanto sobre o próprio comportamento.

O mundo é muito bonito e maravilhoso, viver pode ser muito fácil quando o amor é sua fonte de vida, você pode estar pleno de amor o tempo todo, é uma escolha sua, talvez não tenha um motivo para amar mas pode amar porque amar o torna feliz.  O amor em ação só produz felicidade, lhe dará paz interior, irá mudar sua percepção de tudo.  Você é capaz de enxergar tudo com os olhos do amor, pode ficar consciente do amor que existe ao seu redor.  Quando se vive dessa forma não existe mais nevoeiro em sua mente, o mitote se foi para sempre, isso é o que os seres humanos procuram a séculos.  Por milhares de anos temos procurado a felicidade, ela é o paraíso perdido.  Os seres humanos têm trabalhado tanto para alcançar esse ponto, e isso faz parte da evolução da mente, é o futuro da humanidade.  Talvez não possamos escapar do destino dos seres humanos, mas temos a opção: sofrer nosso destino ou aproveitar nosso destino, sofrer ou amar e ser feliz, viver no inferno ou viver no céu.


Fonte: Livro: OS QUATRO COMPROMISSOS, O livro da Filosofia Tolteca, Um guia prático para a liberdade pessoal. (DON MIGUEL RUIZ).


Guilherme Eduardo Kilian