Parapsicologia RJ - Carlos Alberto Tinoco

PSICONS E UMA COSMOLOGIA HIPERDIMENSIONAL
DA ENTROPIA E DA INFORMAÇÃO A PARTIR DO CONCEITO

Sarti - Tinoco

outubro de 2009




1) - OBTENÇÃO DO INTERVALO MÉTRICO OU CONTÍNUO ESPAÇO - TEMPO A PARTIR DA EQUAÇÃO DE LORENTZ DO TEMPO

Lorentz:

.

 

Dividindo por t:

.

 

Elevando ao quadrado:

                                                  (1)


Colocando no mesmo denominador:

                            (2)


As fórmulas (1) e (2) são equivalentes.  Na fórmula (1), fazendo

,


com

,

 

vem: v  = x / t

                                                   (3).


 

2) - INTRODUÇÃO de DE BROGLIE, onda livre ou PSICON vem:


 

.

 


Substituindo em (3) vem:

.

 

A expressão no denominador é irrelevante para o desenvolvimento de uma função periódica no numerador.

A análise dimensional revela que, com ,


T  = t, vem:

.


Sendo uma função periódica, podemos fazer, com  θ = k x - w t:

.


Multiplicando por c2 vem:

                                               (4).


Comparando com (2) vem:

                 (5).


Esta é a expressão do intervalo métrico periódico na dimensão x.


3) - INTRODUÇÃO DA FUNÇÃO DE ONDA LIVRE (PSICON)

Por definição, a função de onda plana livre é  Ψ = ei (k x - w t).

Como fizemos

k x - w t  = θ, vem:

Ψ = e.

A probabilidade de Born é, em geral, para a função de onda qualquer Φ:

Φ2Pd x (Probabilidade) logo:

Ψ2  =  Pd x  =  e2iθ.

O logaritmo neperiano será:

2 i θ  =  ℓn Pd x  isto é:

                         (6).

 

4) - ENTROPIA

Vamos considerar que d x é a unidade espacial 1.  A entropia envolvida será por definição

U  =  kbn P ,  kb  = Boltzmann

logo                         (7).


Substituindo em (6) virá:

                   (8)

 


5) - INFORMAÇÃO

Obviamente, a informação  I carregada por Ψ*  = e-i (k x - w t)  =  e-i θ será:

.


De uma maneira geral tem-se:

                                     (9)


Tem-se pois a associação imediata Ψ e Ψ*, tanto quanto com o intervalo métrico de (5).


6) - UMA NOVA DIMENSÃO

Foi visto em (5) que para uma dimensão,

(5)


Obviamente, θ ficará como:

                          (10).


Em (9) foi visto que

                        (9).


Uma nova dimensão x4 em (5), ao zerarmos o novo intervalo métrico, será tal que

                      (11).


Então, 
  de tal forma que a equação (10) se repete para a nova coordenada.


Acoplando a nova dimensão x4 tem-se para o novo intervalo com as duas dimensões, a x e a x4:

.


Equilibrando o novo contínuo intitulado psico - espaço - tempo, virá:

0  =  c2 t2 (θ - θ).

Igualmente em relação ao par V e I vem:

0  =  (U  +  I)  =  i (θ - θ).

Deve ser observado que  θ =  k x - w t  é adimensional, ou um ângulo em radianos e que a introdução de uma nova dimensão faz com que possa ser alcançado o equilíbrio entre informação e entropia.

É claro que se o intervalo métrico com a nova dimensão não se anula; há uma situação de desequilíbrio entre a antiga e a nova dimensão.

Deve finalmente ser observado o comportamento idêntico entre as coordenadas lineares x e x4 e a entropia e a informação U e I.


7) - UMA COSMOLOGIA

Pela exposição feita, chega-se à conclusão que  Ψ *  Ψ =  ΨU  ΨI  = 1

e que

.


No caso, v  = x4  e d v  = d x4.

A função F é uma grandeza física qualquer que, se igualada ao próprio V origina o colapso da geometria do vácuo:

.